Esporte em Destaque – Rugby em Cadeira de Rodas


Presente nos Jogos Paralímpicos desde 2000, o Rugby em Cadeira de Rodas mostra como atletas cadeirantes podem quebrar os pré-estabelecidos estereótipos sobre eles. Além disso, trouxe novas possibilidades aos atletas e, claro, grandes momentos aos Jogos.

O esporte foi desenvolvido no Canadá, inspirado no Basquete em Cadeira de Rodas. Seus criadores buscavam uma modalidade que permitisse o manuseio da bola a atletas com maiores graus de deficiência.

Por conta disso, o Rugby em Cadeira de Rodas (também conhecido como Quad Rugby) é jogado numa quadra de dimensões semelhantes à do Basquete e o objetivo da equipe é cruzar a linha de fundo do adversário portando a bola, o que vale um ponto.

Cada time tem quatro jogadores e as partidas são divididas em quatro períodos de oito minutos. Para tornar o jogo equilibrado, cada jogador recebe uma pontuação, de acordo com seu nível de deficiência, de 0,5 a 3,5 e a soma dos quatro em quadra não pode ultrapassar 8.

Por ter sido criado e desenvolvido no Canadá, o país possui um grande histórico de títulos na modalidade, mas a rivalidade com os Estados Unidos, muito presente no Hóquei no Gelo, também existe aqui.

Os vizinhos da América do Norte decidiram títulos Mundiais e Paralímpicos, alimentando uma sadia disputa dentro e fora da quadra. Fato retratado no documentário “Murderball” de 2005.

No Brasil, o esporte tem um número crescente de praticantes. Clubes no Distrito Federal, Rio de Janeiro, São Paulo, Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul disputam o Campeonato Brasileiro e representam o País na Copa América.

A Seleção já conhece seus adversários de grupo nas Paralimpíadas Rio 2016. O já mencionado Canadá, a atual campeã Austrália e a Grã-Bretanha serão os primeiros oponentes. Na outra chave estão Estados Unidos, Japão, Suécia e França.

Atualmente, o Brasil ocupa a 19ª posição no ranking da IWRF (Federação Internacional de Rugby em Cadeira de Rodas, na sigla em inglês).


Compartilhe essa notícia: