Retrospectiva 2015 – O ano dos atletas do Time MVP


O fim do ano se aproxima. Para a maioria das pessoas, é hora de relembrar o que passou nos últimos 12 meses e refletir o que pode vir no ano que se inicia.

No caso dos nossos atletas do Time MVP, é exatamente isso que a gente fez! Hora de buscar na memória alguns momentos inesquecíveis de 2015 para iniciar 2016 com tudo. Um ano importante para muitos, de Jogos Olímpicos no Rio de Janeiro.

Confira abaixo o que cada atleta do Time MVP fez de melhor em 2015.

Adenízia

Um momento importante no ano para Adenízia foi o título do Campeonato Sul-Americano com a Seleção Brasileira, na Colômbia. A equipe fez uma brilhante campanha, com cinco vitórias em cinco jogos. Na decisão, a equipe derrotou o Peru por 3 sets a 0.

Um outro destaque com a Seleção, foi a medalha de prata nos Jogos Pan-Americanos em Toronto. Na decisão, a equipe acabou sendo superada pelos Estados Unidos por 3 sets a 0. O Brasil fez uma ótima campanha, com 4 vitórias em 5 jogos na competição.

Já pelo seu clube, o Vôlei Nestlé/Osasco conquistou o seu 13º Campeonato paulista de Vôlei, com Adenízia fazendo um ótimo trabalho. A equipe venceu o Sesi-Sp, no Ginásio José Liberatti, por 3 sets a 0. A equipe vencedora fez uma campanha brilhante, e terminou o campeonato de forma invicta.

Bruno Prada

O momento mais importante no ano para Bruno Prada, foi a conquista da medalha de prata na Star Sailors League de 2015, ao lado de Hamish Pepper, em Nassau, nas Bahamas.

Classificados entre os 11 primeiros da primeira fase, a dupla passou pela primeira regata eliminatória. Na regata seguinte, Pepper e Prada tiveram uma ótima exibição e alcançaram a vitória, garantindo presença entre os quatro da final. Na decisão, Pepper e Prada foram penalizados no começo, mas conseguiram se recuperar, e terminaram a competição com a prata, o que levou Bruno ao primeiro lugar do ranking mundial de proeiros.

Caio Bonfim

O melhor momento de 2015 para Caio Bonfim, atleta da marcha atlética, foi a conquista da medalha de bronze nos Jogos Pan-Americanos, em Toronto.

O atleta também atingiu os índices para disputar a marcha atlética nos Jogos Olímpicos de Rio 2016. Garantiu sua participação na prova dos 20km (Rio Maior) e 50 km (Santee).

Caio foi o melhor brasileiro no Mundial de Atletismo, no naipe masculino, com um sexto lugar em sua prova.

Charles Chibana

O grande momento do ano para o judoca Charles Chibana foi a conquista da medalha de ouro nos Jogos Pan-Americanos de Toronto, na categoria meio-leve. Em sua primeira participação na competição, o brasileiro enfrentou na final o canadense Antoine Buchard em uma disputa muito equilibrada. Começou atrás do placar, conseguiu empatar a luta e aplicou um ippon, para sair com a vitória. Antes da final, o judoca venceu o Gustavo Lopez Aguilera nas quartas de final, por ippon e na semifinal Sergio Mattey, também por ippon.

Diogo Hubner

Diogo Hubner somou importantes conquistas durante o ano. Foi campeão com o EC Pinheiros da Liga Nacional de Handebol, batendo a forte equipe de TCC/Unitau/ Fecomerciários/Taubaté (SP), por 28 a 20. Também se consagrou campeão dos Jogos Abertos, pelo São Bernardo e foi vice-campeão Paulista com a Metodista/São Bernardo/BESNI.

O principal destaque do ano com a Seleção foi a medalha de ouro nos Jogos Pan-Americanos, em Toronto. O atleta ajudou o Brasil a fazer uma campanha perfeita, vencendo os três jogos da fase de grupos e o Chile na semifinal por 34 a 24. Brasil enfrentou a Argentina, pela quarta vez consecutiva na final. Diferente do que ocorreu em Guadalajara, a Seleção Brasileira se consagrou campeã. O jogo terminou empatado em 24 iguais, e na prorrogação, a equipe do Brasil venceu por 29 a 27. Diogo e Thiagus foram os artilheiros da equipe vencedora, com 6 gols cada.

Eric Takabatake

O melhor momento do ano para Eric Takabatake foi a conquista da medalha de bronze no Grand Prix de Jeju, na Coréia do Sul, na categoria ligeiro (60 kg), em uma competição que contava com importantes judocas de todo o mundo. Na luta pela medalha, diante do francês Vincent Limare, Eric aplicou um wazari e um yuko, contra um wazari do francês no fim do duelo.

Na sua estreia na competição, derrotou Albert Oguzov por yuko. No segundo duelo, venceu Vijay Humar Yadav, por um wazari e um yuko. Na terceira rodada, enfrentou o campeão mundial em 2014 e experiente Boldbaatar Ganbat, nenhum dos dois competidores pontuou e Eric perdeu apenas por um shido.  Na repescagem, o brasileiro venceu Ilgar Mushkiyev por um ippon.

Felipe França

Felipe França foi bicampeão nas duas únicas provas que disputou, 100m peito e 4×100 medley nos Jogos Pan-Americanos de Toronto. O atleta conquistou duas medalhas de ouro e ainda quebrou recordes importantes.

Na decisão dos 100m peito, o brasileiro fez valer o favoritismo e com o tempo de 59s21 conquistou a medalha de ouro, batendo o recorde dos Jogos Pan-Americanos. Com a conquista do ouro, Felipe ganhou vaga no revezamento 4×100 medley e ajudou sua equipe a mais uma conquista. Atingiu o tempo de 3min32s68, batendo mais um recorde na competição.

Fernando Santo Forte

Fernando Santo Forte é finalista do Inoki Genome Fight, um dos maiores eventos de MMA do Japão. Ele vai disputar o cinturão, em Tóquio, no dia 31 de dezembro, contra o britânico Oli Thompson.

Santo Forte chegou à final do Grand Prix depois de passar pelos adversários Anthony Rea e Yosef Ali Mohammad. Ele pode ser o primeiro brasileiro a se consagrar campeão do evento japonês.

Guilherme Toldo

Um grande momento do ano para o esgrimista Guilherme Toldo foi a conquista inédita da medalha de prata nos Jogos Pan Americanos em Toronto, na disputa por equipes do florete. Na decisão, Guilherme, Ghislain Perrier e Fernando Scavasin enfrentaram os Estados Unidos e perderam por 45 a 26.  A equipe brasileira venceu o Porto Rico nas quartas de final, por 45 a 19, depois encarou a Venezuela na semifinal e ganhou de 42 a 34.

Guilherme também é o brasileiro melhor colocado no ranking mundial do Florete.

Henrique Rodrigues

Neste ano, Henrique Rodrigues foi campeão em uma prova muito disputada, de 200m medley, nos Jogos Pan-Americanos de Toronto. Ele atingiu 1m57s06, o melhor tempo na história do torneio. Em uma disputa verde e amarela, o atleta ainda superou o maior medalhista da história do Pan, o brasileiro Thiago Pereira, justamente na prova em que ele igualou o recorde de medalhas.

Lara Teixeira

Um momento especial para Lara Teixeira foi a volta para a Seleção Brasileira. A atleta foi nomeada capitã da Seleção de nado sincronizado e é a mais experiente da equipe, única que disputou Jogos Olímpicos.

Neste ano, a equipe conquistou medalha de ouro no German Open, na Rotina Livre Combinado, o Combo, em março. O time brasileiro marcou 84.3417 pontos. A equipe foi formada por: Lara Teixeira, Lorena Molinos, Branca Feres, Beatriz Feres, Pamela Nogueira, Maria Bruno, Maria Clara Coutinho, Juliana Damico, Giovana Stephan e Jéssica Gonçalves.

Mayra Aguiar

Um dos grandes momentos da judoca Mayra Aguiar em 2015 foi a conquista da medalha de prata no Grand Slam de Abu Dhabi, uma das competições mais importantes do ano. Chegou à final contra a holandesa Marhinde Verkerk, em uma luta muito equilibrada, que foi para o Golden Score empatada nas punições (2 a 2).

Mayra ganhou também a medalha de prata nos Jogos Pan-Americanos em Toronto, na categoria até 78 kg. Foi um duelo muito disputado com a americana Kayla Harrison.

Marcelinho Huertas

O destaque do ano para o jogador de basquete Huertas, foi a transferência para o Los Angeles Lakers, um dos clubes mais tradicionais da NBA. Depois de 10 anos atuando na Europa, o atleta tinha o sonho de jogar na liga americana, maior competição de basquete do mundo, o que concretizou neste ano.

Pãmela Alencar

O grande momento do ano para a nadadora do Corinthians e da Seleção Brasileira Pãmela Alencar foi a conquista da medalha de ouro na prova de 200m peito nos Jogos Mundiais Militares, na Coréia do Sul, em outubro.

A atleta começou dominando as eliminatórias, com 2m35s77, melhor tempo entre as duas baterias. Na decisão, Pãmela se superou ainda mais, atingiu 2m31s88 e garantiu o ouro para o Brasil.

Paula Pequeno

Em 2015, a ponteira Paula Pequeno renovou com o Terracap/Brasília Vôlei, para jogar a Superliga de Vôlei pelo terceiro ano consecutivo pela equipe de sua cidade.

A atleta é o destaque do time e também uma das maiores pontuadoras da competição. A equipe está na zona de classificação aos playoffs.

Suelen Altheman

Um momento especial para Maria Suelen Altheman foi a volta de cirurgia no joelho, sofrida em agosto de 2014, com a conquista da medalha de bronze nos Jogos Pan-Americano de Toronto. Depois de lesionar o joelho direito na final do Campeonato Mundial, contra a cubana Idalys Ortiz, ela voltou aos tatames.

Sua trajetória no Pan começou com uma vitória por ippon sobre a venezuelana Emileidys López, depois foi para a semifinal contra a mexicana Vanessa Zambotti e acabou derrotada. A brasileira levantou a cabeça e venceu a luta contra a dominicana Leidi German por ippon, conquistando o bronze para o Brasil.

 


Compartilhe essa notícia: